Pular para o conteúdo principal

Renascimento do Parto


É eu sei que eu tenho começado coisas por aqui e meio que abandonado, mas é que isso aqui corresponde a caoticidade de minha mente, não vai tão veloz, pois preciso de um tempo pra sentar e vomitar pelos dedos essas minhas ideiazinhas tão ecléticas. Eu comecei uma série de posts sobre amamentação e não terminei nem com a chegada da semana mundial de aleitamento materno no início de agosto, acho que é porque talvez nunca vá terminar, não porque eu não vá voltar ao assunto, muito pelo contrário, é porque vou voltar nele sempre, até o desmame do meu filho, ou não, continue nessa por muito tempo, talvez é uma militância da vida toda.
Vou continuar contando da viagem vagarosamente nesse meu ritmo de blogueira relapsa, mas por falar em militância, isso tudo que escrevi até agora é porque anteontem depois de muuuuito tempo de espera eu fui ver o Renascimento do Parto (não sabe o que é? então corre e se informa, é um documentário maravilhoso que como diz o título é sobre o parto). Quando eu estava grávida já via o trailler e pensava quando vão lançar? Demorou, mas ta aí em grandes salas de cinema fora de circuitinhos fechados pra mostrar somente pra quem já tá no movimento, o filme ta aí pro mundo. E nós (eu e marido) choramos mutiíssimo preparem seus lencinhos e esqueçam qualquer maquiagem.
Todos nós nascemos, se estamos aqui é porque nascemos, mas como nascemos? Isso que alguns dizem "ah não me lembro, ninguém se lembra de como nasceu" deixa muitas marcas pro resto da vida, marcas psicológicas, e até mesmo fisiológicas se pensarmos nas intervenções e procedimentos que acabam mal sucedidas, não é uma memória como estamos acostumados é uma memória mais instrinseca. Todos nascemos, homens e mulheres, embora só as mulheres possam parir é um assunto de extrema importância, o parto virou indústria. Uma industria nojenta e capitalista que maltrata seres humanos no momento mais importante de suas vidas, o ínicio dela.
Eu tenho tanta coisa pra dizer, e ao mesmo tempo nem tenho palavras, acho que deveria ser um filme obrigatório. É  muito urgente virar essa história de parto e nascimento aqui no Brasil e em alguns outros lugares também. Amedrontaram mulheres, minaram sua coragem, disseram a elas que cesárea é chocolate e parto natural é jiló, e ao fazer a cesárea nada doce como um chocolate elas devem se perguntar: imagina se eu tivesse preferido o jiló? Outra comparação que li por aí é que colocar um obstetra pra fazer um parto é o mesmo que contratar uma pediatra pra ser babá, é uma qualificação muito alta pra algo muito simples e que nascemos aptos a fazer, nascer crescer e procriar. Não sei qual o impacto do filme a quem ainda não gesta, gestou e pariu seja lá qual tipo de parto, mas se você é humano algo ele tem a te dizer.
Você nasceu? Ou foi nascido? Se o título do filme é o Renascimento do parto significa que em algum momento ele faleceu ou está falecendo. São muitas reflexões, mas o mais importante é pensar que esse momento exige respeito. E as mulheres merecem informação, então veja o filme e se puder e propague essa ideia, dá vontade de falar muitas coisas, mas vou aproveitar o embalo pra fazer um post pra outro dia que há muito quero fazer, Desculpe seu parto foi roubado, alertando a tantas mães muitas até da família como acontece essa perversidade do sistema.

Saí da sala num misto de grande felicidade por ter conseguido parir da melhor maneira possível, dentro do que minha história de vida permitia e com muito respeito e também muita revolta pelo que podia ter acontecido e afortunadamente não aconteceu comigo graças a informação e coragem pra mudar. Mas que aconteceu enquanto eu via o filme enquanto durmo, escovo os dentes, como e escrevo esse post, agora uma mãe, uma mulher e um ser indefeso tá chegando ao mundo com o marco da dor e da violência, como pode um mundo melhor se a vida começa assim?
Abraço apertado e demorado, pois depois do filme você vai precisar.

esse é o cartaz do filme com a foto do meu parto, quer fazer um com a foto do seu? clica aqui

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Das perguntas: Papel higiênico, no vaso ou no lixo?

Eu vivo me fazendo perguntas e nem sempre tenho as respostas, essa pode parecer inusitada, mas sim, já pensei nisso e me surpreendi com o que descobri. Aqui no Brasil todo banheiro que se preze tem lixeira e muitos banheiros públicos tem a seguinte placa:
Em portugal encontrei a versão lusitana da coisa e acho que herdamos esse hábito deles, acho, porque não tenho a menor certeza.
Quando morei fora percebi a inexistência da nossa companheira lixeira, e vi que o papel era descartado no vaso sem o menor problema. Tenho por hábito seguir os hábitos e assim fazia, até porque fora da minha casa não havia essa opção, mas quando voltei continuei usando a lixeira nossa de casa dia. Tudo muito bom e muito bem até eu me casar com um "gringo" e ele me perguntou porque não colocávamos os papéis no vaso, de pronto mais que automatico e mecanicamente respondi: "Oras, porque entope!" Pouco depois pensei, mas na França não entopia... Será mesmo que entope? Ou fomos ensinados a usar is…

Aniversário de 1 ano diferente

Voltando ao assunto alegre do mês, que foi o niver do filhote, vou postar aqui algumas coisas referentes à comemoração, me recuso a dalar sobre Feliciano e as loucuras desse país, vou falar de coisa alegre.
Sou meio avessas as regras e as normalidades, o que as vezes não preenche as expectativas alheias, mas também não me preocupo com o que vao pensar falar etc e tal. Portanto, acredito que o primeiro aniversário nada mais é do que a comemoraçao dos pais pelo nascimento do filho, e no nosso caso meu filho e nós (papais babões) merecemos até mais que um dia de comemoraçao, pois o esperamos ansiosos por três dias como eu relatei aqui.


Na verdade os meus planos iniciais não foram completamente concretizados por interferencias da natureza porque choveu um pouco, da vô e tia. Mas em se tratando de um churrasco foi dificil ser sustentável, na medida do possivel separamos latinhas de cerveja e pets para o descarte e fizemos o docinho com copinho comestivel que sera a receita do pr…

Cardápio semanal, uma mão na roda no dia a dia

Estou sempre querendo escrever, mas tempo é coisa escassa, entre filho, trabalho e trabalho de casa, fica difícil. Mas depois que me mudei pra uma casa menor, com uma geladeira menor, resolvi fazer algo que sempre quis e que achava que me daria tempo que é o cardápio semanal. Quem nunca ficou olhando os armários e a geladeira com aquela interrogação na cabeça do que fazer pra comer. Quem nunca fica sem ideia do que cozinhar? Quem nunca sente aquela preguiça na hora que vem a pergunta: o que vamos comer? Sem contar quando você pensa em fazer um prato mas só tem alguns dos ingredientes... O cardápio semanal pra começar foi difícil, mas consegui!  O que eu fiz?  Primeiro abri um arquivo, porque nao sei mais escrever no papel, mas pode ser num papel e comecei um brainstorming ia escrevendo todos os pratos que gostamos, os que cozinhamos com certa frequência, aquele que a gente sempre esquece mas que quando faz é um sucesso, os pratos do dia a dia, os pratos que são únicos e dispensam acompa…