Pular para o conteúdo principal

Desculpa, seu parto foi roubado

Como eu disse no último post eu já tinha na minha lista de futuros posts essa ideia um pouco dura de dizer pra muitas mulheres da minha família e do mundo da blogosfera que me lê que vocês podem ter sido roubadas. 



Roubadas numa coisa de valor inestimável. Roubadas de uma sensação incrível e de um auto descobrimento inexplicável. Tô falando do que o título desse post já anuncia, seu parto pode ter sido roubado. E pior, muitas vezes você ainda foi roubada financeiramente pelo médico obs'treta' ou pelo seu plano de saúde, e um médico mau caráter que segue um sistema perverso.




Mas seu filho ta aí do seu lado bem e saudável ou já tá grande e bem e isso que importa, me diriam algumas ao me ler. É muito duro perceber e aceitar esse roubo, eu sei. Mas isso é grave. Independente de como está seu filho hoje, o seu direito e sua vontade foram violados sob desculpas mentirosas. E essas falácias são tão graves e tão repetidas que entram no esquema de que uma mentira contada mil vezes vira verdade. 




Você queria parto normal e não pode porque o cordão tava enrolado? Tinha pouco liquido? Muito liquido? Não teve passagem? Dilatação? Placenta grau 3? Bebê sentado? Se alguns desses foram os motivos para sua cesárea é com pesar que eu informo que sua cesárea foi desnecessária. Que você faz parte de uma porcentagem enorme e alarmante de mulheres enganadas num momento crucial, e quem diz isso não sou eu, é uma médica comprometida com a verdade e a honestidade, com medicina baseada em evidências a Dra. Melania Amorim e você pode verificar o que eu digo aqui, e ver as falsas indicações de cesárea. 




Mas há também aquelas que "escolheram" a cesárea com convicção, que escolheram errôneamente uma cirurgia invasiva, que é importante pra salvar vidas, mas que deve ser feita apenas quando há necessidade. E por que aqui eu digo que escolheram a cesárea entre aspas, por que essas mulheres que fazem essa opção estão tão imersas na cultura cesarista que não conseguem nem perceber outras opções e veem cegamente apenas a cesárea como opção ou também tem essa visão porque o sistema de parto dito normal é tão violento e nojento quanto uma cesárea, cheio de intervenções absolutamente desnecessárias (tanto para a mulher quanto para o recém nascido) e maus tratos. Conheço mulheres que sofreram violência obstétrica no parto e sequer tem a noção disso, sim isso é grave, pois isso legitima e permite que um ciclo nunca se feche e que outras e mais outras mulheres sofram violência perpetuando isso por muito tempo.





É violência, quando gritam com você.
É violência quando te fazem mil exames de toque.

É violência quando não te perguntam se você quer ou não determinado procedimento.
É violência quando fazem qualquer coisa sem o seu consentimento.
É violência quando te fazem tricotomia, raspagem dos pelos, você só precisa fazer se quiser.
É violência quando te fazem lavagem intestinal.
É violência quando te dão sorinho com ocitocina para acelerar seu trabalho de parto.
É violência quando te fazem episiotomia um corte no períneo que só 5% das mulheres realmente vão precisar, não importa se é o primeiro ou o décimo filho, esse procedimento é extremamente desagradável e desnecessário.
É violência quando sobem em cima de você pra fazer manobra de Kristeller.
É violência quando fazem piadinhas.
É violência quando te negam o que beber.
É violência quando te negam a comer.
É violência quando te negam o seu direito a um acompanhante.




Não, isso tudo não é normal, isso tudo é uma aberração e só podemos lutar contra isso se estivermos informadas, então leiam muito sobre o assunto conversem muito com seus médicos e desconfie se ele/a não te der opção desde o pré natal. Desconfie se ele te manda cuidar do quartinho que do parto cuida ele/a.

O nascimento é muito marcante é um momento único e ele tem que ser do jeito que você quiser.



A você que não soube enquanto era tempo ajude a propagar a informação pra outras mulheres para tentarmos diminuir os abusos e as violências contra as mulheres nesse momento delicado, único e eterno, sendo eterno que ele marque sua vida positivamente. Estima-se que uma a cada 4 mulheres sofreram violência obstétrica.Se você sofreu maus tratos ou qualquer tipo de violência durante seu parto denuncie! (tem a ouvidoria da ANS - Agência Nacional de Saúde e do Ministério da Saúde no 136, se quiser ir mais a fundo veja aqui

Abraço bem apertado a todas aquelas que tiveram seus direitos roubados e força pra lutar por um próximo parto com mais respeito ou para ajudar as próximas a poderem parir com dignidade. 



Todas as fotos desse post são de autoria de Carla Raiter e são do seu projeto 1:4 convido a conhecer no site do projeto retratos da violência obstétrica 

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Das perguntas: Papel higiênico, no vaso ou no lixo?

Eu vivo me fazendo perguntas e nem sempre tenho as respostas, essa pode parecer inusitada, mas sim, já pensei nisso e me surpreendi com o que descobri. Aqui no Brasil todo banheiro que se preze tem lixeira e muitos banheiros públicos tem a seguinte placa:
Em portugal encontrei a versão lusitana da coisa e acho que herdamos esse hábito deles, acho, porque não tenho a menor certeza.
Quando morei fora percebi a inexistência da nossa companheira lixeira, e vi que o papel era descartado no vaso sem o menor problema. Tenho por hábito seguir os hábitos e assim fazia, até porque fora da minha casa não havia essa opção, mas quando voltei continuei usando a lixeira nossa de casa dia. Tudo muito bom e muito bem até eu me casar com um "gringo" e ele me perguntou porque não colocávamos os papéis no vaso, de pronto mais que automatico e mecanicamente respondi: "Oras, porque entope!" Pouco depois pensei, mas na França não entopia... Será mesmo que entope? Ou fomos ensinados a usar is…

Aniversário de 1 ano diferente

Voltando ao assunto alegre do mês, que foi o niver do filhote, vou postar aqui algumas coisas referentes à comemoração, me recuso a dalar sobre Feliciano e as loucuras desse país, vou falar de coisa alegre.
Sou meio avessas as regras e as normalidades, o que as vezes não preenche as expectativas alheias, mas também não me preocupo com o que vao pensar falar etc e tal. Portanto, acredito que o primeiro aniversário nada mais é do que a comemoraçao dos pais pelo nascimento do filho, e no nosso caso meu filho e nós (papais babões) merecemos até mais que um dia de comemoraçao, pois o esperamos ansiosos por três dias como eu relatei aqui.


Na verdade os meus planos iniciais não foram completamente concretizados por interferencias da natureza porque choveu um pouco, da vô e tia. Mas em se tratando de um churrasco foi dificil ser sustentável, na medida do possivel separamos latinhas de cerveja e pets para o descarte e fizemos o docinho com copinho comestivel que sera a receita do pr…

mama sutra

Como eu já disse em outros posts agora vou cumprir o post do mama sutra. Como sou mãe full time e blogo nas horas vagas, pela minha ausência nota-se que as horas vagas são poucas. Descobri o termo curioso e engraçado "mama sutra" com a médica que auxiliou no meu parto e que é uma amiga do peito. Aliás aproveito pra divulgar essa iniciativa bacana que tem reuniões mensais que podem ajudar as recém mamães com as questões relativas a amamentação. Conheça as amigas on line através do site http://www.amigasdopeito.org.br/ Voltando ao assunto, muitas vezes achamos antes de ter o filho que para mamar tem que estar sentada na cadeira de amamentação, com o bebê deitado nos nossos braços. Porém isso é a amamentação da TV idealizada, se um bebê mama de 3 em 3 horas durante meia hora, significa 4h sentada naquela cadeira, incluindo horas da madrugada, ou seja, não é bem assim que as coisas vão funcionar, e se for assim, você se transformará numa mãe mega cansada dormindo mal pra caramb…